outubro 08, 2016

Aquela pessoa super fixe chegou aos 40!

(Não, não sou eu. Eu ainda tenho uns três anos em carteira para estourar até passar dos intas aos entas. )

O meu marido faz hoje quarenta anos. 

(Reparem que ainda me custa escrever (quanto mais dizer... ) O meu marido, como se fosse a coisa mais anti-natural do Mundo.)

Reformulando, a pessoa mais fixe que eu conheço faz hoje quarenta anos.

(Pai e mãe, tirando vocês. Mas é que jogam em campeonatos diferentes!)

Acabemos com os parênteses. O meu melhor amigo completa hoje quarenta anos e esta é obviamente uma data especial. Se calhar ele nem pensa assim mas para mim é aquele passo inevitável para a vida adulta. Como se até aos trinta e nove ainda coubéssemos na categoria Jovens Agricultores e aos quarenta já tivéssemos de passar aos Agricultores Séniores. Não é nada dramático, atenção, apenas a constatação inevitável de que já não somos assim tão jovens e que aquelas brincadeiras de putos começam a ficar bem lá atrás. Quatro décadas de aventura, diversão, dificuldades mas muito, muito amor. Dado e recebido, que ele não é pessoa para menos.

Conheço-o vai para trinta anos, talvez, por isso sinto que sobre ele posso falar com total conhecimento de causa. Fomos muito amigos antes de sermos namorados e muito antes de casarmos à pressa na primeira conservatória de Lisboa. Partilhámos segredos, abraços, algumas lágrimas e gargalhadas infinitas desde que nos conhecemos até chegarmos aqui, ao dia em que ele ultrapassa a barreira invisível das três décadas. Ele diz que gostou de mim desde que me conheceu e eu, apesar de não poder dizer o mesmo, sinto que o amor que lhe tenho agora precisou de todos estes anos para crescer e revelar-se como tal. Este amor é feito de respeito, admiração, paciência e aquela sensação que as pessoas têm que somos irmãos ou primos. Dito assim, parece uma coisa horrível mas eu acho que demonstra o quão próximos nos sentimos um do outro.

O meu marido já fez de tudo na vida. Trabalhou em fábricas, papelarias, deixou de estudar e acabou uma licenciatura, viajou pela Europa mas sempre com um mote comum: nunca deixou de se importar com os outros. Mesmo quando a vida lhe dava razões para mandar todo o mundo àquele sítio, ele soube refazer-se e caminhar sempre em direcção à tolerância e à generosidade. Isto não é dizer que ele tem um temperamento fácil e que é a mais doce das pessoas, são coisas totalmente diferentes. Mas sempre existiu nele um genuíno desejo de ajudar os que mais precisam e uma vontade sincera de mudar o mundo. Ele faz um bocadinho disto, todos os dias, à sua maneira. Mas é verdade que a crueldade e, acima de tudo, a estupidez a que assistimos diariamente o têm tornado mais cínico. Sem que isso o faça desistir de ser bom.

O meu marido comemora hoje quatro décadas de vida e eu apenas tenho pena de não ter estado ao lado dele na sua totalidade. Imagino-o nos primeiros anos de vida e na alegria que certamente trouxe à sua família e imagino-o a subir às árvores e gritar palavrões em plena esplanada porque essa história já faz parte da nossa história também. Mesmo assim, dou-me por contente em fazer parte da vida dele há pelo menos quase trinta anos e por ter desistido de resistir às suas tentativas de conquista. Ele sabe ser muito persistente!

Não se pense que ele é perfeito: desentendemo-nos muitas vezes, discordamos outras tantas e às vezes o sangue ferve a sério. Mas ele tem aquela maneira de ser, aquela capacidade de nunca ficar zangado muito tempo, de esquecer as parvoíces do quotidiano para dizer qualquer coisa que me faça rir. E tem aquele amor desmedido pelos filhos e aquela vontade de ter uma equipa de futebol (não, obrigada!) que só me faz amá-lo ainda mais. Talvez muita gente não o conheça assim mas tenho a certeza que outra tanta sabe exactamente do que falo - ele tem muitos amigos por todo o lado.

Por tudo isto e muito mais, que nunca teria lugar num post de um blogue, por ser uma pessoa que me faz querer ser melhor, por ser o exemplo que eu quero para os meus filhos, pelo sentido de humor que nem toda a gente entende, pela sua generosidade e enorme coração - parabéns, meu amor! E que possamos festejar (pelo menos) mais quarenta, mais ou menos rabugentos, mas sempre certos do que sentimos, lado a lado <3 br="">

3 comentários:

м♥ disse...

Parabéns ao marido que, descrito assim, parece mesmo uma pessoa valente e boa :) Amanhã sou eu a aniversariante! :p

Dalma disse...

Parabéns ao Mário por dois motivos:
1 - pelo seu aniversário
2 - por ter escolhido a Marisa para sua mulher!

p.s muitas felicidades e muita saúde para os dois.

Bjis
D.

Anónimo disse...

Também tenho um quarentão cá em casa, que é uma pessoa maravilhosa!
Um grande beijinho de parabéns para o Mário, que eu não conheço pessoalmente, mas que deve ser um marido fantástico :)

FátimaVC