fevereiro 08, 2012

Respirar fundo (é preciso)

Esta semana de férias já tinha sido marcada há algum tempo porque são dias do ano passado e andava mesmo a precisar de descansar. Ter calhado agora, que a grande mudança se fez anunciar, era uma grande vantagem porque nos deixava tempo para tratar de alguns pormenores muito importantes. Agora, ter o Vicente com varicela é que não estava definitivamente nos nossos planos.

No Sábado a coisa já se fazia anunciar: duas borbulhas solitárias na barriga mas a minha recusa em aceitar que realmente fosse varicela. Depois de Domingo, a coisa espalhou-se de tal modo que foi impossível não procurar um médico para confirmar o que já era óbvio. Eu lembro-me de ter varicela, na minha memória foi depois dos dez anos (não sei se é verdade ou não) e sei como custou. Já me conseguia controlar e já entendia bastante bem as consequências de me coçar e mesmo assim foi difícil. Agora com um ano, com uma paciência do tamanho de um berlinde e um mau estar generalizado, sem saber falar nem como estar, a coisa aumenta exponencialmente de dificuldade.

Há duas noite que mal se prega olho cá em casa e as coisas não têm corrido de forma pacífica. Já desesperei vezes suficientes para questionar o meu instinto maternal: não poder aliviar um filho, não entender o que posso exactamente fazer por ele são coisas que me deixam brutalmente triste. Já precisei de sair de casa para respirar fundo e fazer uma pausa do choro descontrolado e contínuo - ironicamente, ir aos correios foi muito calmante. E entretanto os nossos planos não têm andado para a frente. Não é fácil organizar as ideias num momento assim mas achamos que as melhorias têm aparecido. Só esperamos não estar a tomar as decisões erradas, resultado de uma cabeça quente e do nervosismo que nos tem dominado nestes dias. Mais do que nunca, quem me dera que a maternidade trouxesse livro de instruções...

5 comentários:

Dalma disse...

Marisa, o "livro de instruções" da maternidade está nas "memórias genéticas" Tal como os passarinhos a quem ninguém ensinou a fazer os mais intrincados ninhos"! Tu também tens as tuas e funcionam com certeza!
A tua professora

estrela do ar disse...

Eu ajudei a minha irmã quando a minha sobrinha teve e tive um preview de como é difícil...
As melhoras dele, e que todos possam descansar depois.

Helena Barreta disse...

É mesmo uma doença irritante e a nós pais o que nos custa é mesmo não lhes podermos valer de muito, salvo os miminhos e os aconchegos para minimizar o mau estar, deles e nosso.

Espero que consigam o discernimento e a calma necessária para enfrentar os novos desafios que aí vêm.

As melhoras do Vicente e que corra tudo bem.

Um beijinho

Anónimo disse...

Se isto lhe ajuda, eu tive os dois filhos com varicela ao mesmo tempo. Na altura, tinha que se por um produto com um cotonete, borbulha a borbulha.Não fazia outra coisa até secarem.Dormia com eles. São doenças próprias das crianças que temos que levar com muita calma.Se estamos ansiosos transmitimos ao bébé.Logo, logo, o Vicente vai melhorar e a Marisa vai ver que não se devia ter desgastado tanto com uma varicela. Felicidades para a nova vida...pensamento positivo. Beijinhos.
Filomena

Tati disse...

Agora tens um pintarolas em casa!:P