janeiro 15, 2016

Ódios de estimação: a neve



Chegou com muito atraso.Era como se o Inverno não fosse Inverno ou fosse apenas um sucedâneo da estação a que estamos habituados que comece no dia vinte e um de Dezembro. Uns dias de chuva, muitos dias cinzentos, quase nenhuma ponta de Sol. E agora esta chatice chamada neve.

Eu desconfio que as pessoas que dizem que adoram a neve só o fazem porque não têm que viver com ela. Claro que é muito giro ir para Pas de La Casa e esquiar mas melhor ainda é regressar a casa, enxutos e sem precisar do drama das botas, casacos, gorros, luvas e cachecol, pá para limpar a neve e sal para impedir que os vizinhos partam uma perna à nossa porta. Também não é lá muito engraçado ter que limpar todos os vidros do carro com uma escova gigante e ter que estar sentada durante longos minutos à espera que o carro aqueça. E depois ter que enfrentar a neve com uma bebé (no ovo) pela mão e um miúdo que apenas quer fazer bolas e bonecos de neve, enquanto todos estamos atrasados, foi coisa para me esfrangalhar os nervos logo de manhã.

Um pessoa deita-se tranquila, passa a noite sem ouvir mexer uma palha e, de repente, acorda e as ruas estão cobertas de um espesso manto de neve. Nisto prefiro a chuva: chove torrencialmente mas nós sabemos o que se passa na rua. A chuva é definitivamente menos traiçoeira. A única coisa boa da neve é quando levantamos as persianas, chamamos os miúdos e os olhos iluminam-se com o entusiasmo que sentem. O mais velho foi hoje patinar no gelo com a escola. Agora é esperar que não me chegue a casa encharcado e doente (como eu estou a prever) e que guarde a vontade das bolas de neve para amanhã de manhã. Pode ser que esta lambisgóia continue a cair até amanhã, no mais profundo silêncio para delícias dos miúdos. Desta graúda é que não!

6 comentários:

Rita Maria disse...

Apresenta-se pessoa que não gosta de esquiar mas conviveu com a neve ao longo de quase seis anos e gostou sempre dela, mesmo quando a maioria da população já não a podia ver nem pintada, lá para o fim de Fevereiro. Aliás, vou a Berlim no fim de Fevereiro e estou a rezar a todos os santinhos para que neve.

(ok, não tinha carro e não tinha de limpar a rua)

Dalma disse...

Querida, não é que eu adorei estar em Montreal onde pelo menos neva 4 meses? Claro que,como a Rita Maria, não tinha que limpar a rua porque vivia no 20ºandar e o carro estava na garagem!
Bjis

Amigo Imaginário disse...

É o nosso 4º inverno... não, ainda não me habituei. Nunca vou gostar de neve, por mais anos que aqui viva. Ontem, fomos apanhados por uma tempestade de neve nas Ardenas, a 50 km de casa. Passámos por baixo e por cima de árvores, o filho grande teve de empurrar o carro que ficou atolado várias vezes... Quando chegámos sãos e salvos a casa desatei a chorar.

Polliejean disse...

Como te compreendo. Vivi quatro invernos em Berlim com neve e odiei quase todos os momentos (só a neve, claro)...

M. disse...

Há para todos os gostos, lá está :) Eu sou mais uma pessoa dos trópicos, pronto. Não posso contrariar a minha natureza :)

Dalma disse...

Marisa, tu és do Alentejo onde até os invernos parecem Primavera!
Bjis