abril 18, 2006

Há dias assim. Dias em que nos fazem sentir um pedaço de merda que pisámos e teima em seguir-nos por todo o lado - incómodos e baixos. Dias em que todos os acéfalos de Portugal se reúnem, se organizam e lutam em torno de um único objectivo: fazer a minha cabeça em água. Dias em que tudo o que fazemos no trabalho é ignorado, todos os esforços são menosprezados e em que a agressividade dá lugar à sensação de impotência. Dias em que a vida faz muito pouco sentido, em que não há sinal de que alguma coisa vá mudar. Dias em que me lembro de como eram bons (e maus e desesperantes e inúteis) os dias que passava enfiada debaixo dos cobertores, sozinha, sem querer falar com ninguém. Dias (como no post anterior… Como me repito…) em que nos forçamos a pensar positivo e a aceitar mais uma jornada com um valente sorriso - mesmo que seja um sorriso amarelão. Não me derrotam. Humpf.

Sem comentários: