maio 16, 2011

Ainda o pós-parto: o trauma do espelho

Eu sei que é feio mas tenho muita inveja daquelas mães que falam da amamentação como se fosse o mais natural método de emagrecimento: o simples facto de amamentarem um bebé é suficiente para perderem peso e voltarem à imagem que tinham antes da gravidez. Naturalmente, sinto isso porque não aconteceu o mesmo comigo. Ainda hoje luto com a imagem da pessoa que vejo no espelho.

Tive a sorte de não ficar com nenhuma marca da gravidez: a pele continua como antes, não aumentaram estrias nem a barriga ficou flácida mas a verdade é que restaram muito quilos que antes da gravidez não eram meus. Eu, que tinha começado a gostar de correr e que tinha facilmente moderado os excessos alimentares, agora estava (e estou) diferente. O derradeiro teste chegou ontem: convencida de que este fim de semana vamos poder estrear-nos na praia, fui obrigada a experimentar biquinis. E bem, não fiquei propriamente contente com o que vi ao espelho.

Não é que eu tenha sido cega até aqui: compreendo as alterações pelas quais o meu corpo passou e aceito em grande parte as suas consequências. Mas, e não interessa dizer como uma pessoa às vezes até se esquece, a auto-estima ficou gravemente abalada no pós-parto. A amamentação não me emagreceu, não segui uma dieta tão equilibrada quanto gostaria e, no momento em que me sentia pronta a regressar às corridas, chegou um trabalho novo e com ele uma cambalhota gigante nas minhas rotinas. E agora falta um mês para o Verão, e já estão vinte e oito graus lá fora e eu desejo levar o Vicente à praia. Portanto, estou a tentar mudar - hey, baby steps agora para depois dar o salto que falta. Nada de pão, muita salada, nada de fritos, fruta quanto baste e, terminado o mês de Maio, o regresso às corridas na Estrela.

É verdade que não fiquei com mais vinte ou trinta quilos, como muita mulher por aí. Mas também é verdade que não são as quantidades que determinam a forma como nos relacionamos com o nosso corpo: há quem morra de desgosto por ter apenas um quilo a mais. Eu não sei ainda muito bem como mas vou arregaçar as mangas e vestir qualquer coisa mais confortável porque há por aí muito vestidinho mesmo fofo a chamar por mim. É fechar a boca e dar corda aos sapatos.

5 comentários:

Anónimo disse...

Eu percebo que seja difícil ter alguns quilos para perder, mas não desanimes. Começa já hoje a dieta. Mas não abdiques totalmente de pão senão vais andar esfomeada e sem capacidade de continuar a dieta e depois desistes. Come 1 pão por dia, eu parto-o a meio e como metade de manhã e a outra metade ao lanche. À noite come sopa e ao almoço carne ou peixe com legumes. Come muita sopa que te vai saciar imenso e bebe água, muita água.Elabora uma lista com as calorias que ingeres diariamente e um diário alimentar.
Podes criar um blogue de emagrecimento, está provado que é uma ferramenta útil para emagrecer. Deixo-te alguns:
http://emagrecerpraja.blogspot.com/

http://emagrecendoeusei.blogspot.com/

Bom Trabalho:)

Helena Barreta disse...

Uma alimentação saudável, muita água e exercício físico é quanto basta para nos mantermos com o peso certo.

Vamos lá então retomar as corridas, força de vontade e ânimo e não tarda nada está com o peso que quer.

Beijinhos

Anónimo disse...

Dá tempo ao tempo!
Bjs, F.

Durgha disse...

Sei bem o q é isso.
Fui mãe á 2 meses e sempre q me olho ao espelho da-me vontade de desaparecer.
Este Verão acho q n vou por os pés na praia.
Paciencia mas tenho a minh linda bebe q copensa isso tudo :)
Força nós vamos conseguir :):):)

aryabodhisattva disse...

Bem, eu comecei a engordar de maneira constante e imparável desde 2008. Antes tinha uma dieta restritiva, hoje permito-me tudo.
Antes usava tamanho M, hoje uso outro tamanho... Sei o que é sentir saudades do nosso corpo, que desagua numas saudades imensas de nós mesmas.
Acho bem começar a agir, seja qual for a quantidade de quilos em excesso. Ainda bem que não são 20/30, ataca isso enquanto é tempo!

(Eu sou capaz de procurar ajuda profissional no final deste mês. Admito, algo tem de ser feito, mas cheguei à conclusão que não consigo fazê-lo sozinha.)