setembro 29, 2010

Querido Vicente,

chegou finalmente a hora. Nem quero acreditar que está para breve o nosso encontro, depois das semanas contadas com ansiedade e das horas que já passámos a pensar em ti. Não posso, como muitas pessoas, dizer que esta gravidez passou num instante: alturas houve em que o tempo passou mais depressa, noutras parecia nunca avançar. No início tive medo, Vicente. No início, pensei muitas noites que poderia não ser uma mãe capaz e que não conseguiria estar à altura das responsabilidades. Foi um Inverno muito longo e muito chuvoso e demasiado escuro, Vicente.

Mas depois veio a Primavera e com ela também os teus primeiros pontapés e a primeira certeza de que estavas ali, ainda nadando na minha barriga e as preocupações foram passando para segundo plano. Sentia-me radiosa por te ter dentro da minha barriga, sentia-me vaidosa, sabes? Lentamente, começava a sentir que eras o maior privilégio que alguma vez tinha sentido, ia buscar forças à ideia de estares deitado ao meu lado e gostares de mim sem pedires mais do que a minha protecção em troca. O ritual de me ver ao espelho começou a ser cada vez mais importante para mim, estudando o teu crescimento, a formação da minha barriguinha, até ao momento em que me achei mesmo bonita - grávida e já a caminhar para o enorme.

Esta fase descendente da tua aproximação, este cavalgar até ao dia em que estarás cá fora foi difícil mas apenas fisicamente. Na minha cabeça, não restavam dúvidas: tu ias ser muito amado e eu, como todas as mães do Mundo, só ia fazer tudo ao meu alcance para te ver crescer muito feliz. Espera, não era só eu: o teu pai, a quem os olhos brilham desde o dia em que fiz o primeiro teste de gravidez, esteve sempre do meu lado e nunca se cansou das minhas fadigas e das minhas incertezas, das minhas frustrações e das minhas dores. Se pudesses lembrar-te dos beijinhos que te deram através da minha barriga, de certeza que saberias que o teu pai te deseja tanto quanto eu. Depois, devias vê-lo a montar os móveis do teu quarto, a escolher os teus primeiros brinquedos, a olhar para o sítio onde irás dormir: espero que consigamos mostrar-te como o nosso amor é incondicional.

Está quase na hora e eu hei-de despedir-me da minha barriga. Não terei saudades do peso que me impedia de me levantar sozinha do sofá ou da cama à noite mas de certeza vou sentir a tua falta dentro de mim, protegido de tudo, embalado pelo meu andar, um bebé que foi meu durante nove longos meses. Se tudo correr bem, dentro de pouco tempo vou saber como cheiras bem e sentir a tua pele na minha pele - não há nada que queira mais neste Mundo. O nosso Futuro começa agora ♥

12 comentários:

aryabodhisattva disse...

oh my dear, it's timeee!
(dá-lhe um beijinho na testa por todos nós.)

v. disse...

:')

Estamos todos a tua espera, Vicente.

(on an unrelated note, como costumo ler o blog no google reader, so agora reparei na mudanca de template que nao sei se aconteceu ha muito ou pouco tempo... mas que esta bonito, esta!)

Helena Barreta disse...

Sê bem-vindo, Vicente.

Desejo-vos as maiores felicidades.

Beijinhos

mp disse...

Boa sorte para o parto. Parabéns e muita saúde!

Madalena disse...

Vicente, nem imaginas a sorte que tens...

A tua mãe deixou, mais uma vez, esta mãe com as lágrimas nos olhos.

Até já, Vicente


Beijos
M.

Lua disse...

Que tenhas uma hora pequenina! Espero que o Vicente, este menino que vai ter textos lindos para se comover quando comecar a ler, entre no mundo saudavel!

ana cila disse...

Fico muito contente que esse momento tenha chegado e agora é vivê-lo na plenitude, porque não há amor que se equipare a este.
Guardo para mim, por ser impossível partilhar por palavras, a emoção do primeiro olhar, cheiro e toque.
Acredito profundamente que os nossos filhos são a nossa eternidade e a nossa maior obra prima.
Muitas felicidades!

Raquel Sousa disse...

até me arrepiei ao ler o texto :)

felicidades!

caracoleta violeta disse...

:))) um grande beijinho

|b| disse...

já está? já está?

zira disse...

Felicidades para o Vicente e parabéns pela mãe que tem e que tão bem consegue exprimir o que lhe vai na alma, com uma ternura e um amor intrínseco.Tenho acampanhado desde há muito esta espera... por isso também eu estou ávida da chegada.
Já sou três vezes avó, mas ainda me consigo "enfiar" nas suas vivências.Bem haja pela partilha.
Ah!!! BOA SORTE!

P a t r i c i a disse...

O dia 29 de Setembro é muito especial para mim e fico feliz por vocês que seja hoje (ontem, na verdade) que o Vicente vai ver o mundo pela primeira vez!
O texto está emocionante e já o considero sortudo por ter tantas coisas lindas escritas pela mãe dele para ler daqui a uns anos.
Beijos e felicidades para os três!!!
Patrícia (a carioca, vá)