dezembro 01, 2010

Campo de Ourique

A rua onde moramos é uma das fronteiras entre a Lapa e Campo de Ourique, chegando ao cúmulo de cada lado da rua (ou metade da rua, não estou certa) pertencer a uma das freguesias. A nós calhou-nos em sorte a freguesia da Lapa, o que fica muito bem no cartão do cidadão, impressiona algumas pessoas mas não tem metade do glamour que todos imaginam. Na verdade, conhecemos muito mal a Lapa e a forma como se estende desde a avenida Infante Santos até ao rio. Sabemos onde fica a junta de freguesia, onde fica a nossa mesa de voto, o centro de saúde e pouco mais.

Somos mais pessoas de Campo de Ourique, apesar de na verdade sermos pessoas de Portalegre. É lá que gostamos de fazer as nossas compras, de beber café e hoje aproveitámos o dia para passear um pouco entre a Ferreira Borges e o jardim da Parada. Este bairro tem vida e isto é muito mais do que se pode dizer de muitos bairros de Lisboa e o que é ainda mais interessante é a diversidade de pessoas com que nos cruzamos na rua. É verdade que grande parte é gente daquelas famílias antigas, de bem, meninos e meninas vestidos de igual, figuras públicas sentadas nas esplanadas e senhoras de cabelo armado. Mas também há jovens artistas, os velhos que jogam cartas no jardim da Parada, as figuras misteriosas dos bairros mais degradados à sua volta. E Campo de Ourique ainda é o paraíso para quem, como nós, gosta de prédios antigos cobertos de azulejos, melhor ou pior conservados. Há poucas ruas onde não encontramos um padrão que nos surpreenda, uma varanda onde nos víamos a viver. Levámos o Vicente a passear pelas ruas do bairro que também é seu, ouvir o movimento e as pessoas nas ruas, aproveitar uma pausa nas massas de ar frio. E pudemos, enfim, respirar.

6 comentários:

Nuno Guronsan disse...

E aí pelo meio, nessa confusão de freguesias, fica o Jardim da Estrela, do qual tenho óptimas recordações de tardes de sol, com amigos e música. E o Chá das Arábias, já é lapa? :)

E eu que agora passei a ser uma pessoa de Portalegre. Sábado há concerto de Noiserv no CAE e já tenho bilhete!

Tudo de bom para ti, para o pequeno grande Vicente e para o pai do Vicente!!

Tati disse...

muito giro...nunca passei por esses lados por acaso.

Helena Barreta disse...

Quando o tempo permite é óptimo andarmos despreocupados pelos lugares que nos fazem sentir em casa.

Continuação de bons passeios.

Beijinhos

aryabodhisattva disse...

Os últimos azulejos então... <3
Acho que passaria por esse prédio todos os dias apenas para os poder ver.

Bluebluesky disse...

É sempre bom poder respirar um pouco do nosso bairro e descobrir coisas destas :)

Princezinha disse...

Eu diria que a 2ª foto é de um pátio na Rua Domingos Sequeira. Estarei certa?? Beijinhos e força! Custa muito estar longe da familia com um bebé, eu passo pelo mesmo!!