dezembro 07, 2007

Never trust anyone. Especially the ones you know. *

Mais um golpe, mais uma viagem. Enquanto cá andarmos há-de sempre existir alguém que nos surpreende e, depois de nos fazer confidências, depois de nos confiar coisas suas, é capaz de jurar que não nos conhece. A duração do estado de desilusão é cada vez mais breve. É capaz de querer dizer que estamos a crescer.

(mas na aquela altura sobem-me as lágrimas aos olhos, sobe-me a vergonha às maçãs do rosto e encho-me de raiva porque quero perguntar tudo, quero saber porquê, quero que ela diga que foi só uma frase sem sentido e só ouço a minha voz mais alta, cheia de indignação e vontade de gritar porque é que não me conheces melhor quando eu te conheço bem? e engulo em seco tantas vezes quantas me apetece levantar da cadeira e sair e enquanto faço o caminho para casa a desilusão amansa e passa a ser apenas um momento de nevoeiro num dia já de si imperfeito)

*frase roubada e (muito) adaptada aqui

2 comentários:

mafaldinha disse...

Não entendo como é que alguém pode fazer isso, mas principalmente (como tua amiga) não entendo como te podem fazer isso a ti. Porque tu és especial, és daquelas pessoas que se descobrem devagarinho e nos ficam no coração para a vida. (Arre que estou lamechas hoje)

M disse...

Não sei se mereço tão amáveis palavras, Mafaldinha. Mas sei que tento ser tão transparente quanto possível e isso não me tem levado a lado nenhum. :)