março 29, 2007

Se me querem ver contente nestes dias, é levarem-me a ver um chick flick. E então se tiver assim um tipo já com rugas, sorriso impecável, sotaque de cavalheiro britânico e um toque de anca fenomenal, ainda melhor. Se ainda juntarmos uma miúda que é do tipo linda-sem-precisar-ser-deslumbrante, música ao som da qual é impossível não bater o pé e uma história boy-meets-girl com a dose ideal de lamechice, então tenho a tarde feita. E não, não é preciso que o filme seja uma obra-prima. Nem sequer é preciso que seja um grande filme. Só é preciso que me faça sentir bem.

(E o Hugh Grant podia ser um ganda Elton John. Com metade dos quilos, o dobro da sofisticação e infinitas vezes mais virilidade).

9 comentários:

Madeline disse...

Vê-se logo que não foste ver este filme acompanhada de uma certa e determinada gorda! LOL :D
Eu devia ter ido contigo, então! :D

Mas sim.. que grande Hugh Grant. (L)


Beijinhos

Pedro disse...

Hollywood vai tentar todas as combinações possíveis entre o Hugh Grant e as moçoilas giras/decentes até o Hugão já não aparentar os "early fourty" que parecem ser eternos. E eu quase vi esse filme na semana passada até perceber que estava na sala errada. Corri que nem doido pelos corredores do cinema do sony center até à sala certa. Foi por pouco :)

M disse...

O Sony Center era quase o único cinema em Berlim onde eles não teimavam em dobrar os filmes :D

E bem, é normal que não percebas o fenómeno Grant... És gajo. Seria o mesmo que nós compreendermos o fenómeno Meg Ryan. Brrr.

Pedro disse...

Eu também não compreendo o fenómeno Meg Ryan. Mas compreendo o Scarlet Johanson (se é que existe, se não existir eu crio-o já aqui e agora).

Por falar nisso, já houve a combinação Hugh + Meg?

E para quando o fenómeno eu + Scarlet? Hollywood desilude-me a cada dia que passa.

M disse...

Pá, o fenómeno Scarlett-qualquer-homem eu percebo. Eu não sou homem e sei o que vêm nela. Não é difícil, de qualquer maneira. Está demasiado à vista. Ou talvez nunca seja demasiado.

Hugh + Meg nunca aconteceu, que eu saiba. Mas temo que acontecerá em breve. Pelo menos, alguém há-de ler esta conversa. Brrr.

mafaldinha disse...

Conseguiste mais uma vez. Escreveste aquilo que eu queria escrever sobre este filme e não fui capaz.

Se me permitem meter-me na conversa em tempos eu entendi o fenómeno menina-dos-mil-sorrisos (meg), depois das plásticas lhe terem acabado com a expressão acho que já nem ela entende. Ontem fui ver o Scoop e preciso que alguém me explique o fascínio Scarlett - deve ser por ser gaja mas não entendo. O Hugh, meu Deus, quanto mais rugas, mais me fascina...

Beijinhos

Cromossoma X disse...

Eu já o vi, eu já o vi...ao vivinho e a cores...
roi-te, roi-te

Rita Maria disse...

POrquê o Elton John?

A minha mae, e cito, diz que o "Elton John é como o Cacém" e eu sinto-me tentada a concordar....e o Hugh Grant nao é como o Cacém!

M disse...

Hum... Podia ser o Elton John porque canta baladas como ele, assim sentadinho ao piano... Mas com classe e sem um par de óculos pindéricos.

Mas... Elton John é como o Cacém? O_o Essa não percebo eu...