abril 02, 2007

Aos Domingos ao Sol




Já não me lembrava da última vez que tinha realmente apanhado Sol aqui em casa. Em Lisboa, o jardim é à porta, sentimo-nos mais sozinhos e, portanto, mais impelidos a sair. Foi dia de Sol e de silêncio, o silêncio como uma muralha que só aqui consigo sentir. Mas foi mesmo assim um dia em que nos deitámos ao Sol, fingimos dormir enquanto falávamos de olhos fechados e comentávamos como uma nuvem tinha a forma de rim.

3 comentários:

joana Real disse...

O que nós à algum tempo chamavamos o passeio dos tristes (Domingo..Castelo de Vide..Marvão...Portagem..), agora já não parece tão mau, tão triste, até pelo contrário.

Anónimo disse...

... e palpita-me que aquele tipo de casaco laranja se ia a assoar pelo caminho. que ranhoso!

M disse...

Sim, têm ambos razão... Os passeios assim são bons, desde que não estejamos enfiados no carro a ouvir o relato :D

E sim também, aquele tipo é sem dúvida do mais ranhoso que há :P