abril 22, 2007

25 dele


Qualquer razão era boa para festejar mas as coisas souberam ainda melhor por ser um vigésimo quinto aniversário. Jantar massa com atum, beber caipiroskas enquanto alguém nos pintava as unhas de preto, pular e dançar slows até aguentarmos. Depois recuperar, jantar num sítio demasiado caro, rir a bandeiras despregadas com os navalhudos e os javalancas e dançar ainda mais, mesmo quando não havia mais gente a fazê-lo. Haja força e vontade para mais festas destas - as férias não podiam ter terminado de melhor maneira.

4 comentários:

Anónimo disse...

ainda tou em recuperação.... ninguém disse que ia ser facil
TT

Pedro disse...

Chega de comentários pseudo-intelectuais. Vou deixar um normal: Parabéns! Beijinho.

Tá!

M disse...

Obrigada pelos parabéns mas deves endereçá-los à minha companhia na fotografia :P. Os meus vinte e cinco anos já lá vão... O_o

Pedro disse...

Eh catano... a chamada "pata na poça".

Upsy...