junho 03, 2008

(Porto) After hours



Imagens minhas, música Eu tentei dizer do Manel Cruz

Todos os dias foram curtos para nós. Por isso, vi nascer duas manhãs no Porto. Tentámos apanhar gaivotas, conhecemos as faculdades todas e tomámos o pequeno-almoço onde, há menos de doze horas, tínhamos jantado também. Às memórias, junto aquilo que a minha máquina também viu e brinco aos vídeos caseiros. Como se nos pudéssemos esquecer.

5 comentários:

Tákio disse...

Quero conhecer a voz que no fim diz "Ó sr. taxista, qu'é que se esqueceu...?"!!!!

Crama disse...

Este teu post fez-me lembrar muita coisa. Para mim, o Porto também é sinónimo de amigos e de fins-de-semana muito bem passados.
Que gozes muitos Portóbodós!

NM disse...

É tão bom ver o meu Porto tão bem (re)tratado! É sem falsas modéstias que digo sempre que só não gosta quem nunca passou mais de uma hora cá. Ou que veio mal acompanhado e arquivou as boas memórias junto com as más de outras origens.

Em relação ao piolho... A paixão é tanta que um amigo meu me ligou no dia em que o edifício da reitoria ardeu parcialmente em pânico dizendo: "Eh pá! Estás a ver o telejornal?? Aquilo é do lado do piolho???"

Amor à primeira vista. Sabor que fica. Bem vinda ao Porto e volta rápido que o Porto também gostou de ti!

Anónimo disse...

Amiga, a foto de entrada não é do Porto, é de GAIA... CARAGO!!!!!!!!!!

M. disse...

Poderá ser de Gaia mas é certamente a perspectiva de quem está no Porto... :P