novembro 13, 2006

Da tristeza


Ela pergunta-lhe

Achas que a tristeza já está dentro de nós quando nascemos?

Ele responde-lhe, docemente

Sim, acho que já nasce conosco. E só nós é que podemos mudar a nossa tristeza. *


Muitas vezes estive imersa na minha própria tristeza. Tempos houve em que passava os dias literalmente enfiada na cama, a sentir-me miserável durante horas infinitas, a tentar remendar (erradamente) todos os erros que não conseguia evitar. Noutros tempos, sentia apenas a dor de não saber para onde exactamente estava a caminhar e tentava não ceder aos ataques de pânico. Muitas vezes sentei-me perto duma janela, a tentar perceber onde tinha errado, a afundar-me cada vez mais na pena que tinha de mim mesma. A melancolia ainda me ataca muitas vezes: parte de mim revive momentos passados (as expressões, as mãos, as palavras doces, escritas e ditas), outra parte sofre com a inquietação de não saber o que vem aí.

Quantas vezes nos forçamos a ouvir a música mais triste que temos, a canção mais deprimente e que nos fala mais ao coração? Quantos filmes fomos ver e acabámos por sermos nós a sofrer no ecran, por sermos nós os abandonados e os esquecidos? Eu sei que o continuarei a fazer. [porque gosto] Mas agora também sei que há mais do que a tristeza. E, mesmo tendo ela nascido comigo (como com toda a gente, ainda que em doses diferentes), eu sei que há outras coisas que me fazem feliz. E nem sequer precisei de saltar de uma ponte.

* citação muito livre de Dans Paris

5 comentários:

polliejean disse...

(eu quero ver esse filme!)

Joana disse...

Concordo contigo, mas para os momentos de tristeza (e alegria)temos os amigos que podemos sempre chatear com as nossas melancolias.

lenore disse...

Esses momentos normalmente tornam-se tão carinhosos no nosso ser.Acho que até são eles que nos dão forças e empurram para a frente.

Quem? disse...

Eu infelizmente conheçi alguém que se deixou morrer por amor e não se atirou de nenhuma ponte...A morte não é sem duvida a solução! Continuemos a procurar essas músicas tristes, essas imagens tristes e a despejar a tristeza toda cá pra fora. Para depois procurarmos as músicas que nos fazem sorrir, as imagens que nos trazem sorrisos e Viver!
;)

M disse...

Viver não é nada mau ;)