novembro 04, 2006

São onze e meia da manhã e eu já atingi os objectivos do dia inteiro, o que devia equivaler a dizer Ok pessoal, já trabalhei o que tinha a trabalhar, vou mas é voltar à caminha. Mas, obviamente, as coisas não funcionam assim. Também é verdade que podia fazer ronha até às quatro da tarde, que ninguém ia notar. Mas isso também não faz parte dos planos porque seria demasiado aborrecido. Não trouxe almoço, o dia está uma autêntica bosta e mal consigo abrir os olhos com o sono. Comi à frente do computador, os (poucos) colegas só querem ouvir Monster Magnet e Ozzy Osbourne.

Enfiei os phones nos ouvidos e sinto-me como se estivesse protegida numa redoma: sossegada. Com música a isolar-me do resto do mundo feio, tenho tempo para estar sozinha comigo. Olho para o Ipod e leio 'Soft and melting'. A reacção instantânea é pensar num beijo. E eis que me encontro a desejar beijar alguém durante um fim de semana inteirinho de seguida. Assim como aquelas pessoas que tentam bater recordes mas sem querer bater recorde nenhum. Só a sentir outra boca na minha boca. E eis também que descubro que já não sei o que estou a escrever, já perdi o fio ao raciocínio. Volto-me para o trabalho. Ter demasiado tempo nas mãos deixa-me sem saber para onde ir.

2 comentários:

Madeline disse...

Esta última semana, vi e desejei-me, sem nada que pudesse preencher o tanto tempo de que dispunha e a tão pouca vontade ou mesmo capacidade de o ocupar.

Weird, hein? Beijinho para ti. *

amigo disse...

"uma boca na minha boca"...
de repente imaginei qualquer coisa como mergulhar em piscinas de saliva mas depois achei que era melhor estar quieto. não me pareceu uma ideia muito higiénica.