fevereiro 20, 2007




Receio que as trivialidades informativas tenham finalmente dado conta da minha vida.

Se ouço mais alguma vez falar no carnaval de Torres Vedras (ou de Sesimbra ou de Loulé ou de Sines, para todos os efeitos) prometo que vomito. Ligo a televisão e, senão é este carnaval, é o carnaval excepcional que nos foi oferecido por Alberto João Jardim. Se não falam disso, os jornalistas plantam-se à porta das urgências abertas até mais tarde, a tentar fazer duma banalidade uma reportagem séria. Estou cansada das manifestações contra os fechos das urgências, saturada da dança de cadeiras a que assistimos todos os dias na câmara de Lisboa, enjoada pelas sondagens que nos apontam como os mais pobres da Europa. Não há mais pachorra para novas telenovelas, velhos apresentadores de televisão, canais sobre fenómenos paranormais. Acho que odeio os nossos meios de comunicação social. Pelo menos por enquanto.

Por isso, retomei todas as actividades esquecidas. O livro já está estrategicamente pousado na mesa de cabeceira e leio quando as trivialidades não me fazem cair de sono ainda antes das onze da noite. O suplemento do jornal já volta a entrar cá em casa, depois de alguns meses de castigo. A cozinha tornou-se novamente um sítio a descobrir e uma óptima maneira de passar o tempo. Assim, tenho tempo para outras trivialidades. Só assim é que posso perder tempo a pensar como o queijo faz maravilhas por qualquer alimento sobre o qual derreta.

9 comentários:

Mei disse...

Hmmmm... q bom aspecto!
É o prazer das coisas simples!

Meow disse...

É impressão minha ou estas coisas com óptimo aspecto são uma espécie de tapas? Podias pôr aqui a receita ;)

polliejean disse...

nunca gostei do Carnaval. felizmente em Berlim nem se dá por ele. infelizmente nao tenho tido tempo para trivialidades, mas já dava jeito. essa coisa tem, realmente, muito bom aspecto.

Madeline disse...

Olha, quando é que me convidas para jantar na tua casa? :) *

M disse...

Isto a que vocês se referem são beringelas recheadas com legumes, um toque de molho bechamel e queijo derretido por cima!

Madie, temos que combinar essa janta ;)

pilufa disse...

queijo? eeeew! :P

mas são mt papáveis, essas beringelas. NHAM!

Pedro disse...

Possíveis razões para os media em Portugal serem tão decadentes:

1) Nada acontece de real importância e há que "encher chouriços" (uma boa expressão tradicional fica sempre bem)

2) As pessoas que coordenam os media são saloias e acham que ver a pele deslavada do Alberto João Jardim num fato de carnaval alegra "o povão" (nós), mesmo que seja a mesma lenga-lenga todos os anos.

3) As universidades que ensinam ciências da comunicação têm demasiadas mesas de matraquilhos.

4) Há uma conspiração secreta dos governantes portugueses para manterem os cidadãos adormecidos com factos irrelevantes e repetitivos.

5) Não há razão racional nenhuma. Trata-se de puro Darwinismo televisivo e a programação que temos é a que a maioria aprova.

Aposto que se puseres queijo por cima da televisão ela também te saberá melhor...

M disse...

Essas razões são todas muito plausíveis, sim senhor. Só a do Darwinismo é que me custa a aceitar porque se a sobreviência do mais forte significa a sobrevivência do acéfalo estamos bem tramados :S

E não sei se o queijo vai bem nem vou saber - nada de queijo em cima da minha menina! :P

Escola Yoga disse...

Olá!

Boa apresentação :)

Parabens pelo site... recomenda-se!

Visite o site: www.yogamadora.com