julho 23, 2007

Por favor, digam-me que o dia acabou.

Definitivamente preciso de férias. Já não é só uma questão física, é um assunto do foro mental. Ultimamente, a minha vida tem sido um percurso em terreno acidentado mas o dia que vivi hoje ultrapassa já os limites do suportável e nem toda a boa vontade do Mundo me vai ajudar a trabalhar assim, todos os dias com esta gente a reclamar, a refilar, a responder mal, a desafiar a estima que tenho por eles. Esgotam-se os meus argumentos cordiais, cansa-se o meu sorriso, chega-me à raiva que não posso expulsar à garganta. E eu, que nem sequer sou uma pessoa boazinha, começo a sentir-me cada vez mais acima desta gente sem humildade, sem respeito pelos outros e sem um pingo de decência profissional.

Já não me apetece puxar pelas pessoas e oferecer-lhes a possibilidade de poderem brilhar. Também não me apetece ser tão liberal porque vejo que ali há muita coisa a acontecer à minha revelia. Mas há uma coisa muito positiva no meio disto tudo: deparo-me com a possibilidade de ver como as pessoas ocultam traços da personalidade sem que isso me possa, directamente, ser prejudicial. E se, como disse, não sou a melhor das pessoas, pior é ver como as pessoas se moldam ao seu interlocutor e deixam marcas totalmente distintas nas pessoas, sem que ninguém consiga perceber exactamente com quem está a falar.

O potencial de observação que a minha posição me proporciona é muito valioso. Não só consigo desmontar esquemas de incompetência na profissão, mas também consigo melhor compreender onde residem os meus erros de avaliação de carácter. E já errei imenso, muito mesmo - não só aqui, já falhei inúmeras vezes até chegar aqui. E sim, eu sei que isto nunca vai acabar; que , por muito que confie na minha intuição, vou ter sempre amargos de boca. Só me pergunto quando é que isso vai deixar de ser uma surpresa para mim, quando é que vou ser de tal maneira insensível que me basta um encolher de ombros para dissolver a desilusão. Como dizem os Interpol, e muito bem, permitam-me, I'm training myself not to care. E agora, se faz favor, digam-me que já é terça-feira. Por favor?

5 comentários:

Mei disse...

já é quase... ;)
e olha, sê frontal. não há nada que dissolva mais depressa os esquemas "de moldagem ao interlocutor". e verdadeira. mesmo que o céu te caia em cima da cabeça, o pescoço não vai deixar de a suster erguida. e isso é que importa.

joana Real disse...

Já é terça feira...daqui a 1h45min

Pedro disse...

"no man is an island", dizia o outro ("o outro" - sempre útil quando não se faz puto de ideia sobre quem disse alguma coisa mas se quer dar um ar de esperteza casual).

E o chato de não se ser uma ilha é que deixamos entrar toda esta gente irritante que guincha e abocanha toda a inocência que ainda nos resta.

Um beijo do urso - mantemos contacto?
(pedro_velica@hotmail.com) ;)

Joana Real disse...

Agora sim é terça feira (00h03min)

Cromossoma X disse...

TERÇA!!!!!!!!!!!