agosto 30, 2006

(Aquele que, na verdade, deveria ser) O homem da minha vida


O meu pai hoje disse-me, em conversa telefónica, 'Filha, a única coisa de que devemos ter medo é que o céu nos caia em cima'. Ninguém me vai amar como ele em dia nenhum.


[E porque este é um post mais de PS do que outra coisa:


PS1: Eu sei que sempre odiei o Stuart Staples. Menos quando ele canta a 'Jism' mas isso não interessa. O que interessa é que ele canta estas canções de ir embora e não há nada que eu precisasse mais neste momento.


PS2: Moça casadoira, já ligeiramente fora do prazo, vá, procura casa para comprar. De preferência um sítio confortável onde este pequeno coração possa descansar. Sim, porque eu não tenho o coração como Tu, veloz como um cavalo.


PS3: Amigo, obrigada por me ofereceres um tecto. Acredita que coisas assim são muito mais do que aquilo que espero de alguém.


PS4: Agora é hora de telhado. Olhar, sei lá se pela última vez: as luzes de Telheiras; os aviões que aterram; a Lua que se confunde com o anúncio luminoso do Pingo Doce; Palmela; as esplanadas cheias de gente. E sentir que este é um bom sítio para se estar.


There.]

3 comentários:

pita disse...

o pai é o maior d sempre (L)

Madeline disse...

Bolas. Fiquei com um nó na garganta. :|

tiago disse...

ainda vai tudo correr bem. se não for ali, é noutro sítio qualquer... é preciso é calma, muita calma.
e umas bujecas pelo meio!:)