agosto 09, 2006

Sobre a neura matinal
Eu faço desporto. Até nem parece mas faço. Por exemplo, levanto-me todos os dias às seis e meia da manhã e juro que faço um esforço hercúleo para me arrastar, de olhos fechados, corredor fora até à casa de banho. E depois também esforço com o estômago a receber qualquer coisinha, nem que seja apenas em formato líquido.


Mas o desporto mais violento só vem depois. Enfio-me no metro, mudo de metro, saio do metro. E depois é que a coisa se complica. Quando saio passo por uma central de trabalhadores da construção civil, vulgo pedreiros. E aí, sim, é que me esforço mais. Faço uso das minhas famosas trombas, pensando que, se elas desencorajam tanta gente, também vão resultar com mais estes. E, meus amigos, se há coisa em que sou mesmo boa é a fazer trombas: até tenho pena que não possa exercer uma profissão do género Trombuda. Mas estes tipos não vão nas minhas trombas e falam e mandam piropos nojentos e básicos. E prontos, as trombas só funcionam quando não devem.


Eu meto os óculos de sol, levanto o volume do Ipod e faço-me de despercebida. Já estou a pensar como vou disfarçar no Inverno. Mas por enquanto, pelo menos eles, não me ouvem a queixar. Não em voz alta, pelo menos.

4 comentários:

Madeline disse...

Cá para mim, quando uma pessoa é gira, nem as trombas o disfarçam! :)

Mais valia eles recearem as tuas trombas, cm uns e outros. lol

Mas que raio de conversa.. quais trombas?


P.S. - Se isso conta como desporto, count me in, please! :X *

pita disse...

conheço melhor a neura diária lol mas axo q funciona da mm maneira pa ambas..

se fosses a margarida, mandavas os pedreiros pa um sítio q eu cá sei..lool

**

Quem? disse...

exprimenta comprar uma mota..vais ver como melhora o teu sorriso!
;)

M disse...

Na :) Gosto de andar a pé pela fresquinha em Lisboa... O sorriso tem que se reservar, não se pode desperdiçar nesses brutos :D