outubro 18, 2007

Doces dias *

Os dias passam devagar por mim mas deixam-me marca porque isto de acordar às seis e meia da manhã não é para mim. Quer dizer, é, mas francamente o facto de chegar a casa e querer dormir dormir dormir chateia-me. Ando a contar religiosamente os dias que faltam para os próximos sete dias de férias e a fazer planos para os dias que ainda me sobraram, isto é, a planear a minha próxima internacionalização, que deverá acontecer para os lados de Barcelona para visitar o amigo e ex-colega Jorginho. Isto é um detestável ciclo vicioso que se resume ao esquema pensar em férias--> descanso-->trabalho (revigorada)--> pensar em férias mas em períodos de tempo curtíssimos. Portanto, é no exacto momento em que o trabalho começa a render mais que o pensamento das férias me ocupa toda a parte do cérebro não dedicada a relatórios de produtividade, alocação de pessoas, faltas e atrasos e esquemas de motivação.

Por isso, não é de estranhar que um dos confortos venha da comida, mais precisamente dos jantares com outras pessoas que não o Chandler ou a Phoebe ou o Ross. Na semana passada, passámos uma noite a comer enchidos de Portalegre, a degustar queijo da Serra da Estrela, tudo regado a Periquita. Não foi bem um jantar, mas sim uma gigante tábua de queijos e enchidos, daquelas que enchem a vista no restaurante. Mas a pièce de résistance foi um maravilhoso cheesecake (foto deste menino, confecção deste *), o qual me tem assaltado o palato de vez em quando. Mas, prometido que está o encore do cheesecake, estou mais descansada. Ontem foi a vez do costumeiro sushi caseiro, onde não arriscámos mais que o pepino, a pasta de atum e o salmão crú/fumado. Como é hábito, fizemos quantidades industriais, que sobraram e que alguns reservaram para o seu pequeno-almoço [ar de náusea]. Não fosse o facto de termos começado a jantar às onze e meia da noite e tinha sido quase perfeito.

Resta dizer que ontem foi dia de ginásio. E hoje devia ter sido. Amanhã será certamente. É que o corpo não se compadece com os jantares de amigos. E se eu quiser continuar a comer uma cacholeira de assar, seguida de queijo da Serra e arrematar tudo com tostas e pasta de atum, há muito trabalhinho a fazer. Suar. É urgente.

4 comentários:

Catarina disse...

huummmm, já comia, sim senhora!

Madeline disse...

Eu nem gosto de cheesecake, mas comia desse! :D

Papoila disse...

Opá tem um aspecto D-E-L-I-C-I-O-S-O!
E a receitinha, não se arranja, não???
:DDD

M disse...

Papoila, para isso terás que falar com o moço do blog ao lado :D