julho 06, 2008

Portalegre, 21h37m

Penso nos quilómetros que já fiz em toda a minha vida, constantemente a alternar entre a minha casa e o sítio onde escolhi viver. Todas as horas que passei dentro do carro são para chegar aqui, para sair do carro e ver anoitecer uma noite de Julho gelada, para absorver a escala de cores com que se pinta o teu céu. És a minha casa mas, corajosa, empurras a minha vida para longe. Promete-me que um dia poderei regressar.

1 comentário:

Raquel disse...

Encontrei o teu blog por acaso...
Ao ler alguns dos teus textos sobre portalegre, confesso que me vieram as lágrimas aos olhos. também eu estou longe (aliás, nunca estive perto muito tempo) .
Tenho saudades , muitas...das cores do céu, das torres da sé e até do barulho tão singular que os carros fazem ao passar na rua onde morava á minha avó, e de tantas tantas coisas.. Ao ler os textos regresso por instantes á criança que fui e que (tantas vezes) gostaria de voltar a ser...
Por me fazeres lembrar, Obrigada