julho 20, 2008

Post com dedicatória *

De todo o mal que me fez, o que me magoa ainda hoje é a ingratidão, a incapacidade de aceitar que o que tínhamos juntos era o mais próximo que ele ia encontrar de perfeito. Passaram dez anos e a nossa vida poderá continuar mas provavelmente nunca estarei totalmente a salvo das suas tentativas reles de me magoar. E toda a dor que ele me causou apenas me deixou uma gigantesca percepção do que é o respeito por mim mesma, do que é não sucumbir à maior rede de mentiras que alguma vez me contaram, de procurar alguém verdadeiramente à minha altura. Deixá-lo foi a mais difícil e mais acertada decisão de toda a minha vida, foi acordar para um mundo em que eu era realmente uma pessoa, foi crescer e ver que a vida não precisa ser só um emaranhado de noites inquietas e dias confusos, em que nunca se sabe bem em quem confiar.

Por isso, se me perguntarem um dia qual foi o melhor momento da minha vida, eu vou responder que foi o dia em que te deixei, o dia em que encheste a minha caixa de mensagens com todos os insultos que pudeste inventar, o dia em que me perdeste para alguém incomparável e infinitamente melhor. Nada do que me possas dizer hoje ou amanhã me irá abalar porque, tanto eu como tu, sabemos que a tua vida é o castigo por tudo o que deitaste fora.

Apenas desejo não mais me cruzar com ele. Para que da minha boca não saia mais do que quero dizer.

*para mim, que um dia consegui perceber que se fazia tarde. Para mim, por ter perdido sete anos da minha vida a gostar de alguém. Para mim, no dia em que decidi que, de onde esta dor veio, não virá mais nada. Nunca mais.

11 comentários:

Cromossoma X disse...

Este post chega na altura em que os meus sentimentos sao tao, tao semelhantes..., embora menos rasgados pelo odio.
o porque de tantas coisas? nao sei...

claudio disse...

Muito bonito. Altamente esclarecedor... Parabéns!

Eu. Cláudio!

Rita disse...

Um post que deve dar orgulho reler.

Muitos parabens, pela força e clarividência.

curse of millhaven disse...

realmente tb a mim me apetece dar-te os parabéns. corajosa.. ;)

atirador especial disse...

Porra... um texto arrepiante !!!!
Que me tocou particularmente pois vivo o problema de uma pessoa que me e querida,estar a passar pela mesma situacao, e hoje encontra-se detida, acusada pelo canalha de o ter esfaqueado...que so levou 2pontos, mas nao foi em Portugal!!
So que ela nao teve a sua coragem e continuou atraz do canalha.
Va em frente pois as aguas do rio nao voltam para traz.

Paulo Sempre disse...

Há realidade e vivências que escurecem certas solidões povoadas de "gritos" enternecedores...
Também nas planícies douradas do Sul...a sinfonia das cigarras já não têm o "arco-íris" nem o romantismo dos contos de fadas...
O amor e o ódio são forjados nos mesmos desígnios da vida. São uma espécie de alcatruzes na nora num Vai-e-vêm sofrido...ceguinho de choro.
Fez-me bem vir aqui.
Beijo
Paulo


http://www.youtube.com/watch?v=NloUwu4CeU0

Sónia Pessoa disse...

Vim aqui dar por acaso, mas provavelmente com o propósito de te dar uma força num momento que se diz díficil, mas, acredito, libertador. Força!
Aparece lá no meu cantinho, um passeio faz sempre bem á alma.

Abraço
Sónia

K. disse...

És corajosa. Beijo.

Anónimo disse...

Penso estares no bom caminho. Silêncio e indiferença.
Ele não merece que gastes palavras com ele ou até mesmo um simples olhar, nem ligares ao que diz. Nunca disse nada de jeito e assim continua como tu sabes.

Parece que o último encontro que tiveram foi mesmo mau! Parece? Já falamos.

Baci MT

Denise disse...

Não tivesse eu a certeza de que o este blog não é meu, e poderia chegar a jurar que tinha escrito este texto á uns meses atrás...

Boa escrita. Boas frases.

Começo a apaixonar-me por este blog!

Beijinhos*

PsiPages disse...

Já nem sei como cheguei a este blog... Mas ainda bem que aqui vim parar. Este post apareceu na altura certa! Obrigada :)
Vou voltar!