agosto 21, 2008

São as vantagens de a ter outra vez perto de mim. Num dia, prepara uma entrada para tornar o jantar numa coisa mais especial; noutro dia, leva-me ao take away, onde enchemos três embalagens de sushi para comermos em frente à televisão. Também podia falar da maravilhosa sensação que é ter alguém à nossa espera depois de um dia de trabalho e da maneira como ela cuida de mim. Depois de dois anos sozinha, admito que foi estranho voltar a partilhar a casa. Mas a sensação durou apenas dois minutos, os mesmos que ela demorou a instalar-se. Não é, mana?

5 comentários:

P, disse...

(L)

caracoleta violeta disse...

E isto é mais uma coisa que partilho contigo. A minha irmã é metade arrancada de mim e colocada num outro corpo. Não é preciso eu dizer-lhe nada para ela saber tudo sobre mim, é como que um calor aconchegante que sem dares por isso te estampa um sorriso nos lábios. Eu sei que quando estou com ela estou bem, posso estar muito mal, mas ela faz-me acreditar que estou e estarei sempre bem. Felizmente, ela está mesmo aqui ao lado, a uns passinhos...

(desculpa, sinto que este era um post pessoal, só vosso e que assim estou a intrometer-me onde não pertenço, mas não posso deixar de dizer, com aquele orgulho, que partilho o mesmo sentimento) :)

K. disse...

Pois, é bom... :)

O meu irmao deixou Barcelona para voltar a Portugal, sei o que sentes.

M. disse...

Caracoleta, não era nada pessoal, pelo contrário. Era eu a mostrar como gosto dela :) E sim, orgulho é uma das maneiras de descrever o que sinto por ela.

K., estive longe dela durante dois anos porque a vida dela e a minha eram outras. Estar longe não é mau se soubermos que eles são felizes :)

Xana disse...

Porque família é sempre família! E é sempre tão bom!! =) E entres irmãs, o sentimento eleva-se a um outro nível! =)