abril 10, 2009

Everyone I know goes away in the end



[Este blog vai, provavelmente, entrar num momento de pausa. Ontem, enquanto olhava distraidamente para a televisão, dei com esta versão do Johnny Cash. É assim que me sinto: profundamente magoada por pensar ainda que todos somos eternos, desanimada com a fé e a ciência, prestes a ver desaparecer as pessoas de quem gosto. Estou incapaz de aceitar um abraço, finjo que a dor é uma comichão supérflua. Mas é porque, se me abraçarem, é provável que se soltem as lágrimas todas. E para estas lágrimas, para tudo o que estou a pensar agora, ainda tenho tempo, é o que me dizem. E eu, sem palavras que me cheguem, encosto-me à parede e sorrio.]

6 comentários:

Rabisco disse...

Encontrei este blog por força do acaso. E gostei, ainda que presencie que tenha entrado num momento de pausa...
Às vezes dói pensar no que está para lá e no que fica... dói porque tudo isso é sinónimo de dor...e saudade...
Mas estamos cá, certo?
Então que venham os abraços e todas as lágrimas que existem para chorar... venham as lágrimas porque logo de seguida virão os sorrisos.
E esses que venham para ficar!
Continua a escrever!

P. disse...

*sigh*

Rabisco disse...

Gostei desse suspiro.
:)
Mas ainda gostarei mais se, atrás dele, chegar um sorriso!
:)

curse of millhaven disse...

...compreendo perfeitamente...

cá estarei para o teu regresso.

força *

Ocarteiro disse...

Não abandones a chama que te guia.

indigente andrajoso disse...

e as borboletas na barriga?